Notícias



Busca

Pesquisa personalizada





Usina de Soluções Tecnologia da Informação

 

 

História da Família Domingues

 

 

 

DOMINGUES: Nome português de origem patronímica (filho de Domingos) que deu origem certamente a múltiplas famílias sem qualquer parentesco entre si. Um ilustre utilizador do apelido foi D. João Domingues, Mestre Templário em 1208. Os Templários ficavam inicialmente sediados no Castelo do Soure, próximo a Ega, cidade onde nasceu Izabel Domingues em 1599 (ancestral da Família Clemente de Souza). Sobre a origem dos Templários e sobre o povoamento de Ega, foi escrito o seguinte: ...Depois que El-Rei D. Affonso VI casou sua filha com o Conde D. Henrique, sempre (os Templarios) foram em sua ajuda, os quaes nunca desampararam depois de sua morte o Rei D. Affonso, seu Primogenito... E a primeira Doação lhes fez a Rainha D. Tareja, Mãe do dito Senhor Rei D. Affonso, depois do fallecimento do Conde D. Aurique, seu primeiro marido, sendo já casada com o Conde D. Fernando, e sendo o dito Rei seu filho, a esse tempo, chamado Principe dos Portuguezes. A qual Rainha fez Doação aa dita Ordem do Templo, com outorga do dito Conde seu marido do Castello de Soure. E sabendo o dito Principe seu filho, que ella fizera a dita Doação, pertendendo elle o senhorio da terra ser seu, e não da dita sua Mãi: por lhe não parecer razão dar desgosto aos Religiosos da dita Ordem (a que tanta obrigação tinha) em hir direitamente contra a dita Doação, e a revogar: tornou a fazer outra Doação, em seu nome, do mesmo Castello aos Religiosos da dita Ordem... Fez mais Doação a dita Rainha aa mesma Ordem da terra deserta, e despovoada entre Coimbra e Leiria, onde dundaram os castellos de Pombal, Ega, e Redinha, e as igrejas...

A chegada dos Templários em Portugal:

De fato os Templários iniciaram suas atividades em Portugal nas extensões de terra onde viveram os ancestrais da Família Clemente de Souza. Uma breve descrição da chegada dos Templários em Portugal e sua motivação é descrita a seguir:

A Santiago de Compostela viajavam milhares de peregrinos cristãos de todas as partes da Península Ibérica. O temor das investidas muçulmanas tornaram necessários atenção e esforços de defesa especiais para com estes peregrinos. Sob a hoste do Mestre Templário Frei Guillaume Ricardo, em 1126 os Templários chegam a Portugal instalando-se provisoriamente na região do Minho. Segundo a tradição, Raimundo Bernardo (catalão ou francês) foi o primeiro cavaleiro do Templo a visitar as terras ibéricas, colhendo auxílios monetários para a ordem e alistando membros nativos. A regente D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, percebe a importância dos Templários e a sua valia para o ainda Condado Portucalense. Em 1127, a regente concedeu como doação à Ordem do Templo a povoação da Fonte Arcada no Minho. Em 1128 ela lhes confiou o Castelo do Soure e o território compreendido entre Coimbra e Leiria. Por sua vez, a Ordem constrói os castelos de Ega, Redinha e Pombal, edifica igrejas e assume um papel fundamental na consolidação do território português.

Doações de terras às Ordens Militares em Portugal. Em vermelho as terras doadas aos Templários.

Os Mestres Templarios de Portugal foram:

1. D. Guilherme Ricardo antes de 1128 (recebeu a Doação das terras da Redinha e construiu o castelo e a igreja)
2. D. Raimundo Bernardo 1128
3. D. Pedro Froilaz 1140
4. D. Ugo de Martonio 1143
5. D. Pedro Arnaldo 1157 (concedeu o foral a Redinha)
6. D. Gualdim Paes 1157 (deu o foral aos moradores da Redinha): ...Hominibus in Rodina habitantibus...
7. D. Lopo Fernandez 1197
8. D. Fernando Dias 1206
9. D. João Domingues 1208 (citado acima)
10. D. Gomes Ramires 1210
11. D. Pedro Alvitis 1214
12. D. Pedro Annes 1223
13. D. Martim Sanches 1228
14. D. Estevão de Bel-monte 1229
15. D. Guilherme Fulcom 1239
16. D. Rodrigo Dias 1242
17. D. João Escriptor 1242
18. D. Martim Martins 1242
19. D. Pedro Gomes 1247
20. D. Payo Gomes 1250
21. D. Martinho Nunes 1253
22. D. Gonçalo Martins 1265
23. D. João Annes 1271
24. D. Beltram de Valverde 1272
25. D. João Fernandes 1283
26. D. Affonso Gomes 1289
27. D. Lourenço Martins 1291
28. D. Vasco Fernandes 1295

Conforme já mencionado, os Templários ficavam inicialmente sediados no Castelo do Soure. A vila de Soure tem origem no tempo dos romanos (quando se chamava 'Saurium'). Foi devastada pelos mouros, mas em seguida reconquistada pelas hostes cristãs. Recebeu foral em 1111 e, por se encontrar despovoada e destruída, foi alvo da atenção de D. Teresa, que a reconstruiu e mandou repovoar. Doada aos Templários por D. Afonso Henriques, pertenceu desde 1319 à Ordem de Cristo e teve foral de D.Manuel I em 1513. A designação antiga 'Saurium' deve ser um nome próprio, correspondente a 'Soure'. Outras formas do nome poderiam ter sido 'Saurio', 'Sourio', 'Souro' ou 'Souri', que devem representar um topônimo.

Outros nomes romanos de vilas da mesma região em Portugal (com respectivas datas de fundação):

Condeixa - Conimbriga 139 a.C. (data da primeira colônia romana)
Coimbra - Aeminium 1064 d.C. (data do foral)
Soure - Saurium 1111 d.C. (data do foral)
Ega - Ech (ibérico), Egas (medieval), Eja (variante) 1131 d.C. (data do foral)
Redinha - Roda, Rodinha 1159 d.C. (data do foral)
Pombal - Terrae Palumbarü 1174 d.C. (data do foral)

Nobreza do Soure:
Henrique de Puim - Senhor de Soure, Penela e Óbidos *1150, filho de Duarte de Puim e neto de Godofredo de Puim
D. João da Costa - I Conde do Soure *1610
D. Gil Eanes da Costa - II Conde do Soure *1630
D. João da Costa - III Conde do Soure *1660
D. Henrique da Costa Carvalho e Sousa - IV Conde do Soure *1699
D. João de Costa de Sousa Carvalho Patalim - V Conde do Soure *1717
D. José António Francisco da Costa - VI Conde do Soure *1726
D. Ayres José Maria de Saldanha Albuquerque Coutinho Matos e Noronha - Alcaide-mor do Soure *1755
D. Henrique José da Costa - VII Conde do Soure *1798

 

Ancestrais da Família Clemente de Souza:

 

Antonio Domingues - nascido na década de 1660 nos Casais da Misericórdia - Freguesia de Soure. O lugar de Casais da Misericórdia poderia ter este nome devido a uma antiga Santa Casa da Misericórdia na vila (hospital), sobretudo, para recolhimento de pobres e indigentes, pois houve uma Casa da Misericórdia no Soure fundada no (possivelmente antes) século XVII. Antonio Domingues foi casado com Maria Dias e foram pais de Anna Dias (nascida em 26/7/1694).

Izabel Domingues - nascida em 1599 no lugar da Picota - Freguesia de Ega. Foi casada com Simão Antunes com quem teve como filho outro Simão Antunes que se casou com uma Maria Domingues, do mesmo lugar da Picota, possivelmente do mesmo clã de Izabel, e certamente, também ancestral da Família Clemente de Souza.

 

Voltar