Notícias



Busca

Pesquisa personalizada





Usina de Soluções Tecnologia da Informação

 

 

História da Família Simões

 

 

 

SIMÕES/SIMOENS/SIMOIS: Nome português de origem patronímica, filho de Simão. Este sobrenome existiu (e ainda existe) no Soure-Portugal.

Embora vestígios arqueológicos, sobretudo do período neolítico/idade do ferro (o Crasto) e romano, aliados às condições naturais que desde cedo atraíram a ocupação humana, indicam que o Soure foi ocupado desde tempos imemoriais. O documento escrito mais antigo que se conhece e se refere a Soure data de 1043 assinalando a doação, ao Convento da Vacariça, de um mosteiro que aqui possuíam os irmãos João, Sisnando, Ordonho e Soleima. Em Julho de 1111 (antes de surgir o estado português), o Conde D. Henrique e a rainha D. Teresa concederam foral à vila de Soure. Este importante documento estipulava um conjunto de previlégios fiscais com o objectivo de atrair e fixar as populações. Na Idade Média, mais concretamente no período da reconquista Cristã, Soure assume um papel de importância estratégica vital. O seu castelo é, até à conquista de Lisboa, uma praça fortificada, incluída na cintura de edificações militares da defesa de Coimbra definitivamente conquistada em 1064. Em 1128 D. Teresa doa o Castelo de Soure à ordem dos Templários, doação que veio a ser confirmada por D. Afonso Henriques em 1129. Com o decorrer dos tempos, a função militar foi desaparecendo e Soure passou a caracterizar-se, a partir da Idade Média, por uma região marcadamente rural dada a apetência agrícola dos seus terrenos enriquecidos pela água dos rios Anços, Arunca e Pranto. Em 13 de Fevereiro de 1513, el-rei D. Manuel outorgou um novo Foral à vila de Soure. Possivelmente antes do século XV a família Simões já se instalava no Soure, existindo inclusive aldeias batizadas com este nome (aldeias de Simões, Areias dos Simôes e Carvalhal dos Simões). Fonte: Site oficial da Câmara Municipal de Soure (adaptado)

Ancestrais da Família Clemente de Souza:

Próximo do Soure existe uma aldeia conhecida como Picota. Esta aldeia pertence a freguesia de Ega. Por volta de 1550 nasceu nesta aldeia um dos mais antigos ancestrais conhecidos da Família Clemente de Souza: Domingos Simois o Velho, que foi pai de Domingos Simois o Novo.

 

Voltar