Notícias



Busca

Pesquisa personalizada





Usina de Soluções Tecnologia da Informação

 

 

História da Família Zaccaroni

 

 

 

ZACCARONI/ZACCHERONI: Nome italiano derivado da alcunha Zaccherone, que significaria uma pessoa suja, desorganizada, no sentido figurado, um indivíduo de vida desordenada. A origem do vocábulo vem do termo "zacchera", do antigo alemão "zahhar", que significa gota, lágrima, com a qual ele indica a lama que mancha sapatos ou roupas. É original de Imola (região da Romagna).

Outra variante do nome inclui Zaccaron, mais comuns em Conegliano (Veneto) e Trieste (Friuli). No Brasil, erros de tradução em cartórios e paróquias acabaram por transformar o sobrenome em Zacaroni.
Os agricultores católicos da família Zaccheroni de Tossignano, uma 'frazione' da 'comune' de Borgo Tossignano (província de Bologna, região da Romagna), próximo da cidade de Imola e do Rio Reno, embarcaram com destino ao Brasil no Porto de Genova (Itália) em 22 de Março de 1897 no vapor Maranhão.
Chegaram em 12 de Abril de 1897, tendo desembarcado no Porto de Santos para trabalhar nas fazendas de café da região de Cravinhos/Ribeirão Preto. A família era composta pelo casal Cesare Zaccheroni (nascido em 1863) e Luigia Del Prato (nascida em 1870) e seus três filhos Aldo (nascido em 1891), Mario (nascido em 1894) e Augusto, este último ainda no ventre materno.
A família foi trabalhar na fazenda Rincão, propriedade de Dr. Martinho Prado da Silva Júnior, mais conhecido como Martinico Prado.
Os pais de Cesare e Luigia ficaram na Itália (Tossignano), e se chamavam Giovanni Zaccheroni/Maria Cava e Giovanni Del Prato/Maria Mainetti. É possível que este Giovanni Zaccheroni seja neto do conselheiro ancião Francesco Zaccheroni, responsável juntamente com Dr. Achille Berti Ceroni por tentar a emancipação de Tossignano em 1849.
Neste mesmo ano nasceu na Fazenda Guatapará, Augusto Zaccheroni, filho de Cesare e Luigia. O nascimento ocorreu às 23h do dia 27 de outubro de 1897.
A extinta Fazenda Guatapará (nome originário de um cervo já extinto na região mas que na época era encontrado com certa abundância) foi fundada em 1865 por Martinico Prado. Antes de sua fundação, esta área era pertencente à Fazenda Agrícola Dumont, da família de Santos Dumont.
Logo no primeiro ano de fundação da fazenda, foram desbravados 260 alqueires para o cultivo de café, dando origem à maior área cafeeira do planalto de Ribeirão Preto-SP. Martinho Prado da Silva Júnior tinha como objetivo criar uma cidade no local onde então se localizava a fazenda.
Chegou até mesmo a traçar ruas. O desbravador levou a ferrovia para a fazenda dando o nome de Albertina à futura cidade, em homenagem a sua esposa.
Os planos da época, que eram os de superar o desenvolvimento de Ribeirão Preto, obviamente nunca foram atingidos.
Guatapará tornou-se um distrito de Ribeirão Preto em 1938 e município em 1989.
Augusto Zaccheroni se casou em Cravinhos com a descendente de italianos Domingas Stievano e se mudaram para São José do Morro Agudo, onde tiveram uma filha chamada Adelaide.
CURIOSIDADE: Um ilustre da família Zaccheroni, Alberto Zaccheroni, foi gerente de futebol de vários clubes italianos, como Internazionale, Lazio e Milan.
Outra curiosidade é que o Papa João X (nome de batismo: Giovanni Cenci) nasceu em Tossignano no ano 860.

 

Ancestrais da Família Thom de Souza:

 

Giovanni Zaccheroni (1830 - Tossignano - Romagna - Itália)

 

Alguns dos Zaccaroni emigraram também da Itália para Isére (França) na década de 60.

 

Voltar